Últimas Crónicas

Castanhas…”A velha”…e o S.Martinho! – Aida Fernandes

loading...

Escrever em dia de S.Martinho, obriga-me a escrever sobre este tema, este dia, esta lenda e ainda sobre a importância que um gesto de bondade e caridade teve na história da humanidade.

Já todos sabemos que a origem do dia de S.Martinho se deve ao fato de um soldado ter tirado a sua capa, ter cortado a mesma em duas metades iguais, para num dia de tempestade poder cobrir um velho mendigo. Até aqui parece um gesto bonito e sendo uma lenda transmitida de geração em geração, só me ocorre um tempo e um espaço longínquo…uma narrativa de uma linda história, onde o mau tempo deu lugar a um dia de sol, onde um gesto humano foi glorificado eternamente.

Mas S.Martinho que se prese tem que ter a sua tradição…”No dia de S. Martinho, lume castanhas e vinho”, “No S.Martinho vai á adega e prova o vinho”.

Nada mais evidente que haver uma festa popular para este Santo, e se nos outros Santos que comemoramos ao longo do ano, há celebrações….No S.Martinho é o Magusto a principal atração.

Novos e velhos, quem não gosta de comer umas castanhas assadas e beber um vinho novo ou jeropiga!…Quem ainda se lembra dos magustos que fazíamos nas escolas…catequese…em família! Quem não chegava a casa com a cara toda pintada de carvão”! A caruma apanhada com o tempo seco, para podermos fazer a fogueira! Isto sim já faz parte da lenda e de um passado real.

Há outra tradição que espero nunca acabe, são as castanhas vendidas nas ruas, embrulhadas numa folha de jornal…até parece que tem um gosto especial!

Mas há ainda outra tradição que eu desconhecia!… e como eu se calhar mais alguém! Não é que há uma “velha” que faz um magusto, e oferece castanhas a toda a freguesia, só que em vez de ser em novembro, é em dezembro! (já faleceu mas continua a tradição)! No dia a seguir ao natal não faltam castanhas e vinho para todos quantos queiram ir ao adro da igreja! As castanhas são atiradas da torre e quem quiser tem que as apanhar…eu acho que elas já devem vir benzidas! Até porque a “velha” em troca pedia para lhe ser rezado um pai-nosso em sua alma.

Esta é mais uma das tradições que fazem de um povo, uma história, baseada em costumes…lendas e devoções. Eu gosto de falar nelas, adoro estes mitos associados a ritos e lendas, fazem-me viajar no tempo, e achar que por mais que a sociedade possa evoluir haverá sempre destaque para estes costumes e devoções.

Mais que ritos são atitudes baseadas em mitos…são “velhos” a dar vida á nova vida!

Mais que castanhas e água pé…são atitudes como as de S.Martinho as que devíamos seguir como exemplo de bondade e caridade!

Aida FernandesLogo

Crónica de Aida Fernandes
A última Etapa

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top