Últimas Crónicas

A Guarda do Leão – uma desilusão chamada Simba.

loading...

Sempre fui uma criança. E se tenho poucas certezas na vida, uma delas é que serei, indubitavelmente, uma enorme criança para o resto dos meus dias – não tivesse eu um metro e oitenta e cinco de altura. E como tal, muitos dos hobbies que tenho na minha vida estão relacionados com coisas de criança. Como, por exemplo, a visualização assídua de séries animadas. Desde os míticos The Simpsons, aos mais recentes Family Guy e American Dead, tenho a plena consciência que já perdi inúmeros minutos da minha vida com este género de séries. Minutos esses que nunca mais irei recuperar na minha vida e que, muito provavelmente, irão fazer muita falta quando estiver na fase terminal da minha existência…

Mas as coisas tendem a mudar um pouco quando surge a paternidade na nossa vida. No meu caso em particular, não se trata do hobbie que se alterou mas sim o tipo de séries animadas que passei a ser um espectador assíduo. Quando se tem uma filha, as coisas tendem a alterar-se um pouco nesta área, passando a ter como prioridade séries de menina – como por exemplo, a Doutora Brinquedos ou a Princesa Sofia. Mas eu tento lutar contra essa factor “menina”, e tento que ela veja também séries animadas de “menino”.

E uma dessas séries é a Guarda do Leão. Série essa que, até este dia, ainda continua a ser mais a minha série preferida do que propriamente dela. Ela apenas gosta de ver todos aqueles animais e cores e blá, blá, blá. Mas eu não, eu aprecio realmente o raça da série. Eu gosto das aventuras daqueles animais fofinhos e igualmente ferozes na tentativa de defenderem as Terras do Reino.

Na série, Simba é o Rei. Mas é o filho Kion o grande protagonista da série. Kion é o líder da Guarda do Leão, uma espécie de equipa formada com outros animais para defender as Terras do Reino contra as ameaças de outros animais maus que teimam em confrontar e distorcer o Ciclo da Vida. A Guarda do Leão é formada por 5 elementos: Kion, o leão, Fuli a chita, Bunga o Texugo-do-mel, Besthe o hipopótamo e Ono a Garça. E depois existem os mauzões do sítio, constituído por Janja a hiena, Goigoi e Reirei os chacais, Mzingo o abutre, Makuu o crocodilo e Makucha e Mapigamo, os leopardos. São estes os pelintras que tentam a todo o custo interferir no Ciclo da Vida e que a Guarda do Leão tem de dar uma lição em todos os episódios.

A Guarda do Leão possui um grito de guerra que me deixa em êxtase sempre que é proferido. Enquanto eu rejubilo com isso, a minha filha olha para mim com a típica expressão de quem está a observar um lunático que devia estar amarrado a um colete-de-forças. Mas você, caro leitor, irá concordar comigo quando ouvir aquelas alminhas a proferir alto e em bom som o grito de guerra: “Enquanto houver Terras do Reino, haverá a Guarda do Leão para as defender!” Até me arrepio só de escrever isto…

Mas apesar de apreciar muito esta série animada, existe algo que me revolta imenso: o shôr Simba. O raça do leão é o ser mais preguiçoso à face da terra – ou melhor, à face das Terras do Reino. Quem, como eu, segue a história do Rei Leão, está habituado a ver no Simba um exemplo feroz do que é a liderança de um reino. Acontece que na Guarda do Leão, o Simba é aquilo a que podemos apelidar de “um valente chóninhas”. É uma perfeita desilusão e leva-me a ficar revoltado e a proferir impropérios em frente à minha filha (o que vale é que ela ainda não entende nada do que o pai tresloucado dela diz…) sempre que vejo o raça do bicho na série. Como Rei ele deveria ser o exemplo. Ele deveria colocar as patas no terreno e governar com garras de aço. E o que é que ele faz? Verdadeiramente o oposto. E porquê? Porque ele tem a Guarda do Leão a trabalhar para ele. Isto é, sem sombra de dúvidas, exploração infantil. Ora que raio de exemplo é que o Simba ­– relembro, o Rei das Terras do Reino – pode ser para as crianças? Aqueles animaizitos simpáticos estão a ser explorados pelo seu rei. E não há ninguém que faça nada para alterar esta situação?

Simba é tão preguiçoso que, embora isso não se veja na série, eu acredito que ele convoque a Guarda do Leão para limpar-lhe o real rabo sempre que ele vai fazer a necessidade número 2 na selva. Isto são coisas que se devem passar nos bastidores e que ninguém deve querer mostrar, mas até deve ser a Guarda do Leão que prepara e dá banho ao shôr Simba, o Rei das Terras do Reino. Tenho muita pena de assistir a esta amostra de Simba que surge nesta série animada.

Bom, visto que já desabafei e libertei a minha enorme frustração em relação ao papel de Simba nesta série, agora está na hora de ir à minha vidinha porque tenho mais um episódio da Guarda do Leão para ir ver. Mas antes disso tenho de ir dar de banho à minha filha, de seguida dar-lhe de comer e mudar-lhe a fralda antes de a colocar ao meu lado para vermos juntos mais um episódio da Guarda do Leão.

Pensando bem no que acabei de escrever, no meu mundo animado parece que eu faço parte da Guarda do Leão e a minha filha é o Rei Simba.

Ora bolas…

Isto é que é uma Vida de Cão, hein…

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

loading...
To Top