Últimas Crónicas

“Praça da Alegria” de volta à RTP

loading...

Vi hoje no Diário de Notícias que a RTP vai repor o programa Praça da Alegria, a partir dos estúdios do Porto (que ficam, como todos sabem, em Vila Nova de Gaia), já em Setembro.

Se bem se lembram aqueles que já me lêem à vários anos, em 14/06/2014 critiquei a decisão de terminar com o programa, depois de já algum tempo atrás a produção do mesmo ter passado do Porto para Lisboa.  E pensarão “deves estar contente por, ao final de um ano, te darem razão”. Não se trata de uma questão de me dar razão. E eu nem sou, como disse na altura, espectador destes programas da manhã, salvo quando, na minha hora de almoço, ligo a TV para me fazer companhia durante a refeição. A questão é mesmo, como também referi há um ano atrás, o respeito pelo público do programa.

Mesmo, em linhas gerais, seguindo o formato de “talk show” matinal, com algumas rubricas e apontamentos de humor, certo é que a RTP defraudou, em 2013, o público habituado a ver Jorge Gabriel e Sónia Araújo nas manhãs da estação pública a partir de Gaia, ao transferir o programa para Lisboa e ao atribuir a apresentação a João Baião e Tânia Ribas de Oliveira. Em 2014, com a saída de João Baião, Tânia Ribas de Oliveira recebeu Zé Pedro Vasconcelos no novo “Agora Nós” que, mantendo o formato, ganhou nova vida com o também apresentador das terças do “5 Para a Meia Noite”. Agora, a RTP prepara-se para alterar novamente os hábitos do público das manhãs da estação pública ao regressar a Gaia, à “Praça da Alegria” e a Jorge Gabriel e Sónia Araújo.

Reparem que, segundo o DN, citando o director de programas Daniel Deusdado, a RTP volta a um programa que esteve no ar mais de 15 anos, tendo sido apresentado entre 2002 e 2013 pela dupla que agora regressa também, mas promete, e cito, “mais moderno, mais social e menos igual à restante concorrência”. Ou seja, desengane-se quem pensa que será a mesma “Praça da Alegria” que era antes de Luís Marinho, então director geral de conteúdos (pelo menos a comunicação social atribui-lhe a decisão), ter decidido mudar o programa para Lisboa. Em suma, mais uma mudança na rotina matinal de quem segue a RTP1.

Num apontamento pessoal, quando o programa mudou do Porto para Lisboa, em 2013, o cenário era, na minha opinião, horrível e sem nada a ver com o formato. Dois pisos, com um canto para as conversas, os convidados musicais actuavam a um canto, de lado. Não faz sentido para mim. Verdade é que, quando mudou para Lisboa, não melhorou muito, é verdade. Já o cenário do “Agora Nós” é mais alegre, mais aproximado ao ambiente familiar, logo mais amigável.

Crónica de João Cerveira

Este autor escreve em português, logo não adoptou o novo (des)acordo ortográfico

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top