Últimas Crónicas

Animais no Parque da Cidade e Quem Não os Adopta – Carla Vieira

loading...

Houve um dia abençoado desta semana em que cheguei suficientemente cedo a casa para conseguir ver as notícias enquanto jantava. Assim foi e comecei a ver o que aparecia na tv; volta e meia deu uma notícia com animais. Como eu gosto muito de animais, prestei então o máximo de atenção que conseguia e ouvi o seguinte:

As pessoas estão ultrajadas porque os animais vadios que passeiam pelo Parque da Cidade do Porto deverão ser expulsos e mandados para um canil. Quem falou para a televisão disse que isto era completamente desnecessário porque as pessoas levaram os animais para ser castrados, dão-lhes comida e estão todos com as vacinas em dia; logo, não há razão para os bichos terem de ser removidos.

Excepto que há.

Eu gosto muito de animais. Já falei acerca de dois casos relativos a cães aqui neste espaço e tenho dois amores de quatro patas cá em casa que simplesmente adoro. Resumidamente, adoro animais e faria tudo por eles para que nenhum tenha os seus direitos violados. Mas usando a lógica, obviamente que para mim, este tipo de animais não pertence no Parque da Cidade. Sim, o Parque alberga algumas espécies de animais, os cães e gatos não são os únicos. A diferença maior é que estamos a falar da diferença de animais domesticados e animais selvagens. Os gatos e cães que passeiam pelo Parque não são animais selvagens, não sobrevivem a não ser que alguém lhes dê de comer, e nem toda a gente está disposta a isso. Se não forem castrados, vão procriar e criar mais bicharada, e nem toda a gente está disposta a os castrar. Se não forem vacinados, serão um perigo para quem quer que por ali ande, e nem toda a gente está disposta a os vacinar.

Estas pessoas indignadas estão dispostas a fazer estes três sacrifícios, o que me leva a pensar: mas porque raio é que vocês idiotas na televisão não os adoptam?!

Mas não, ‘bora lá fazer uma petição na internet em vez de os adoptarem ou arranjarem quem os adopte. Está certo. Se já gastam dinheiro na comida, e na castração e nas vacinas, só faltava mesmo levá-los para casa, ou estou errada? Ah, mas os bichinhos fazem cocó e chichi e se viverem na rua ninguém tem que os levar a passear. Pois, lamento informar-vos mas eu quando vou ao Parque da Cidade quero tudo menos pisar o nojo que os bichinhos fofinhos lá deixam. Quero poder deitar-me na relva se bem me apetecer sem trazer para casa merda colada à roupa, só porque vocês acham que os xuxuzinhos são fofos mas é lá fora onde não têm de se preocupar com as idas à casa-de-banho e a higiene dos patudinhos.

Nem vou sequer mencionar a fauna que está em risco tipo lagartos e sapos porque os gatos gostam muito de caçar esse tipo de presa por diversão. Sim, os animais têm realmente direito a serem bem tratados e essas coisas todas, e sabemos que num canil não terão nada disso. Sim, esse destino entristece-me. Mas não, não quero cães e gatos no Parque da Cidade.

Ah, e antes que me esqueça: os cães que vocês vêem a passear no Parque de trela, lembrem-se por favor: os donos devem (e suponho que o façam) pegar nos cocózinhos e pô-los num saco, não deixá-los ao ar. Sejam responsáveis por favor e não usem argumentos do tipo “mas os cães com dono passeiam por lá!”. Pois passeiam, minha gente. Mas não deixam lá o tronco cheiroso.

Por favor, em vez de assinarem petições online como se isso resolvesse o problema, adoptem uma criatura. Já 1301 pessoas assinaram a petição para deixar os bichos no Parque, querem-me dizer que nenhuma destas mais de mil pessoas tem espaço para um companheiro de quatro patas? Por favor, sim? Haja menos hipocrisia.

Crónica de Carla Vieira
Foco de Lente 

1 Comment

1 Comment

  1. Carla Marinho

    20/03/2013 at 21:39

    És o máximo! Há que ensinar as pessoas que falam ou escrevem, a raciocinar ou pensar, antes de se pronunciarem!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top