Últimas Crónicas

Factos que você desconhece sobre o filme “Sozinho em Casa” – Bruno Neves

loading...

Sejam muito bem-vindos à crónica especial de Natal! Como já vem sendo hábito o Mais Opinião decidiu presenteá-lo a si, caro leitor, com uma crónica extra neste último mês do ano. Estamos quase a despedirmo-nos de 2013, é verdade, mas antes de partirmos para os tradicionais balanços do ano que passou, comemoremos esta época festiva tão especial e importante que é o Natal. E quando pensa em Natal pensa em quê? Na família reunida, na árvore de natal e no presépio, nos presentes, na agitação das crianças a correr pela casa e…no filme “Sozinho em Casa” (“Home Alone” na versão original) que todos os anos obrigatoriamente repete em algum dos canais nacionais. Você, não sei, mas eu adoro o filme “Sozinho em Casa”! Marcou a minha infância e o meu crescimento e é, sem dúvida alguma, um dos meus filmes preferidos de sempre (obviamente que não pela qualidade, mas por aquilo que representa). E dito isto acho que está explicado o porquê de nesta crónica especial de Natal eu me debruçar sobre dez curiosidades do lendário “Sozinho em Casa”!

I) Macaulay Culkin conseguiu o papel de “Kevin McAllister” graças ao filme “Uncle Buck

Muitos dos leitores podem ficar surpreendidos com esta revelação, mas a verdade é que Macaulay Culkin entrou noutros filmes para além do “Sozinho em Casa” e do “Sozinho em Casa 2”! Um desses filmes teve no nosso país o nome de “O Meu Tio Solteiro” (“Uncle Buck” na versão original), foi lançado em 1989 e tinha John Candy e Jean Loiusa Kelly nos papéis principais. Não é um dos melhores filmes de sempre, aliás no reputado site IMDB tem apenas 6.8 pontos em dez possíveis, mas foi a rampa de lançamento que permitiu a Macaulay (parece estranho não dizer os dois nomes não é?) chegar ao filme que o deixaria famoso para todo o sempre. O realizador John Hughes viu a interpretação do jovem actor e quis desde logo contar com ele no seu próximo filme. Fez o casting assim como centenas de outras crianças, e acabou por ser o escolhido ganhando cem mil dólares pela sua prestação. Tendo em conta o sucesso de bilheteira que o filme teve, e a mega estrela que o pequeno Culkin se tornou, parece óbvio que quando foi contactado para protagonizar a sequela o seu salário subiu vertiginosamente. O seu cheque subiu então para os cinco milhões de dólares mais…cinco por cento dos lucros do filme. A isto se chama fazer negócio (e bem, ainda por cima)!

II) A casa da família McAllister existe mesmo!

Estamos mais do que habituados a que grande parte dos filmes sejam inteiramente filmados em estúdio, recorrendo a diversos cenários mais ou menos elaborados e a efeitos mais ou menos especiais. E tendo em conta a quantidade de peripécias que acontecem no desenrolar do filme, seria de pensar que as sequências que acontecem no interior da casa foram gravadas em estúdio, mas a verdade é que não foram! Foi utilizada uma autêntica mansão: situa-se River Forest (Illinois) e pertencia a John e Cynthia Abendshien. “Espera lá…ele disse pertencia? Isso quer dizer que já não pertence a esse casal?” Eu percebo o vosso espanto, e penso exactamente o mesmo do que vocês: se eu vivesse na casa onde foi gravado este mítico filme nunca de lá sairia e muito menos mudaria de casa! Mas este casal pensava de uma forma diferente e em Março de 2012 vendeu a habitação por 1,5 milhões de dólares.

III) A personagem “Old Man Marley” não fazia parte da versão inicial do filme

Na primeira versão do guião não havia sinal da existência deste idoso, que apesar de inicialmente assustar o mais novo elemento da família McAllister acaba por mais tarde ser a sua salvação. O realizador e a sua equipa acharam que para além de Kevin estar separado da sua família faltava uma outra personagem que trouxesse um lado mais sentimental. E para todos aqueles que conhecem quase tão bem a história de trás para a frente como de frente para trás pergunto: há momento mais emocional e sentimental do que o reencontro entre esse idoso e a sua família?

IV) Joe Pesci teve problemas em controlar a sua linguagem

Uma das grandes surpresas do filme (para além do facto de os “wet bandits” conseguirem chegar vivos ao final do filme) é o facto de Joe Pesci ter aceite o papel que lhe foi proposto. Joe era um actor habituado a trabalhar com Scorsese e entrou em filmes míticos como “Raging Bull” ou “Goodfellas” por isso o seu “sim” surpreendeu tudo e todos. O realizador tinha dado bastante liberdade para que os actores pudessem improvisar tanto quanto fosse possível, contudo Joe teve algumas dificuldades…linguísticas. Nunca esteve em causa o domínio da língua inglesa, atenção, mas sim a quantidade excessiva de palavrões que ele dizia. Perante tantas pancadas e trambolhões o vernáculo saía-lhe de uma forma demasiado natural. Tornaram-se míticas as tentativas de Pesci autocontrolar-se, balbuciando palavras sem sentido, como de resto podem ver neste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=QY7nSgNrNwc

V) Daniel Stern não gritou na cena em que tem uma tarântula na cara

É, indiscutivelmente, uma das cenas mais icónicas de todo o filme. Marv consegue apanhar uma das pernas de Kevin e o fim parece estar cada vez mais próximo. Contudo Kevin olha para as escadas e vê a tarântula do irmão num dos degraus. Estica-se o mais que pode, agarra a tarântula e coloca-a mesmo na cara do bandido que continua a agarrar-lhe a perna. Marv fez o que eu próprio faria: gritou o mais alto que conseguiu! Contudo a verdade é que Daniel Stern não gritou aquando a gravação dessa cena pois tinha receio de assustar a tarântula e de ser mordido pela mesma. O estridente grito foi assim adicionado posteriormente através de um fantástico trabalho de edição. Se depois de ler isto ficou com saudades de ver essa cena não desespere, basta seguir o link: https://www.youtube.com/watch?v=BykZI8mnS_o

Para os verdadeiros fãs de Macaulay Culkin e do “Sozinho em Casa” tenho agora duas surpresas (aproveitem que estou imbuído do espírito natalício). Primeiro: apenas há uma coisa mais engraçada do que o filme….bloopers, exactamente! No seguimento da pesquisa para este artigo descobri o seguinte vídeo (atenção: durante o visionamento pode ser atingido por um fortíssimo sentimento de nostalgia): https://www.youtube.com/watch?v=074-mH3JxkU

E em segundo lugar, quantas vezes já fez a si próprio a pergunta: “O que estará o Macaulay Culkin a fazer hoje em dia?”. Pois bem, tenho notícias para si. Contudo, são algo bizarras. Digamos que o “já-não-tão-jovem” Culkin formou uma banda. Até aqui tudo bem. E se dissermos que a banda dá pelo nome de “The Pizza Underground”? Aqui já começa a ficar um pouco estranho. E se a banda se basear apenas em músicas dos “Velvet Underground” mas as letras forem todas apenas sobre pizzas? Ok, aqui já ficou estranho demais não foi? Eu avisei que as notícias eram bizarras. Eu acho que se ele não ganhou juízo nestes anos todos não era agora que tal ia acontecer.

Espero que este artigo extra, dedicado à época natalícia, tenha sido do vosso agrado. Espero também que tenham passado uma consoada agradável, na companhia da família e que este dia de Natal esteja a ser verdadeiramente especial. Agora é desfrutar dos presentes recebidos na noite de ontem, dar-lhes uso e começar os preparativos para a passagem de ano! Para a semana cá estarei para, na terça-feira, publicar a última crónica do ano de 2013!

Boa semana.
Boas leituras.

Crónica de Bruno Neves

Visite o blog do autor: aqui

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top