Últimas Crónicas

Inesquecível Allo Allo!

loading...

Era um dia, como outro qualquer. Na sala a velha TV Minerva devidamente sintonizada à “la pate”, esperava…

Esperava ela, e esperávamos nós, ansiosos por mais um episódio dessa grande série que foi o “Allo Allo”!

Confesso que na altura, eu ainda não sabia muito bem o que era o humor, sabia sim que ver aquilo me fazia rir, me fazia feliz!

Um humor refinado, tipicamente britânico diriam, para mim era apenas parvo! Brilhantemente parvo!

“Good moaning” ouListen very carefully, I shall say this only once.”

São frases que ficarão para sempre nas nossas memórias, ouvimo-las vezes sem conta, vindas do café do René situado na vila de Nouvion!

Vila pacata ocupada pelas forças Nazis durante a Segunda Guerra Mundial!

René o dono do café via-se envolvido em grandes alhadas, rodeado pelos oficiais nazis, a resistência francesa, e a Gestapo de Herr Flick, René era pau para toda a obra, era ainda o guardião da famosa pintura “The Fallen Madonna (with the big boobies)” com tantas peripécias,  não é que o sacana do homem ainda tinha tempo para namoriscar com tudo que era menina, menos com a sua senhora (diga-se de passagem que a dita senhora também não era lá muito bonita)!

Lembro-me de a ouvir, Edith de seu nome, a cantar, enquanto todos no café tapavam os ouvidos com queijo! É verdade, a senhora cantava maravilhosamente mal!

O agente Crabtree, espião inglês disfarçado de gendarme francês com as suas trocas e baldrocas de vocabulário, que nos faziam partir a rir!

O Monsieur LeClerc, Mimi, o Tenente Gruber (que tinha uma paixoneta por René), Michelle “of the Resistance”, entre muitos outros, personagens fantásticas, num cenário acolhedor…

Allo Allo, era uma serie acolhedora e hilariante, sim, penso que serão estes os dois melhores termos para a definir!

Gostava, se fosse possível, de voltar aquela sala, sentar-me no sofá de um lugar de napa castanha, em frente à velha Minerva a ver uma das minhas séries preferidas!

O mais engraçado, é que, ao contrário de hoje em dia que nas nossas famílias, é cada um por si, a ver um programa diferente, naquele tempo uma simples serie de comédia era capaz de juntar a família toda na sala (ok, a escolha não era muita, só tínhamos dois canais é certo), mas juntava e muitas vezes o silêncio só era interrompido por gargalhadas!

“O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo…” – Mário Quintana

Não se esqueçam de recordar e sonhar porque a vida é feita de sonhos!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top