Leitores

Os benefícios dos jogos mentais na vida cotidiana

xadrez-poker

Pode não parecer, mas o poker e o xadrez podem ensinar bastante a um executivo E se nós te dissessemos que é possível aprender algumas habilidades bastante úteis para a vida cotidiana através de diversão? Pois é, pode aparecer meio absurdo quando pensamos superficialmente sobre o assunto. De toda forma, quando passamos a densamente pensar sobre habilidades utilizadas nos dois principais jogos mentais, em termos de popularidade, da atualidade, a coisa começa a ficar um pouco mais clara.

Logicamente estamos tratando do poker e do xadrez. Muitos podem pensar que ambos se tratam apenas de jogos, mas engana­se quem pensa assim. Ambos são reconhecidos pela Associação Internacional de Jogos Mentais, entidade que regula as modalidades e que é vinculada ao Comitê Olímpico Internacional. A presença de ambas é tão importante no cenário esportivo que, no caso de jogos universitários, por exemplo, o xadrez é presença garantida. O poker vem ganhando espaço também.xadrez-2

O esporte mental assim o é qualificado porque em sua essência é diferente dos esportes físicos. O próprio nome já explica o porquê: não é necessário um corpo atlético ou músculos potentes para um bom desempenho. É necessário, sim, um cérebro treinado através de repetições – não de exercícios físicos, mas de exercícios mentais, que envolvam raciocínio. E eles são esportes porque – embora muitos achem que o poker só depende de sorte – a habilidade é a determinante no resultado final (ou seja, no longo prazo). Por mais que um jogador iniciante possa ter um bom desempenho nas primeiras jogadas do xadrez, comendo uma rainha em poucos movimentos, o jogador mais habilidoso tende a se recuperar a medida que o jogo avança, haja vista que o menos experiente comente erros que a sorte não consegue cobrir. O mesmo vale para o poker, no qual uma jogada de sorte não é páreo para um jogador profissional e bem treinado.

Dito isto, vamos ver especificamente quais habilidades desses dois esportes uma pessoa pode usar em sua vida profissional ou no dia­-a-­dia.

maxresdefault

Uma mão ruim não pode passar disso: apenas uma e apenas uma mesmo mão

Aprender com os erros – mas não se apegar a eles

Um péssimo costume que muitos profissionais acabam por ter é o de se apegar a coisas que deram errado. Em vez de matéria­prima para experiência, muitos profissionais acham que um dado negócio não fechado é a mácula de sua carreira. E se esquecem de que há muitos outros que podem aparecer – e que podem recompensar por uma dada catástrofe. O poker nos ensina que não é assim que as coisas funcionam. Uma mão ruim num dia ruim pode – e deve – ser apenas uma mão ruim num dia ruim. Outras mãos melhores virão.

A aleatoriedade faz parte da vida: você tem que se aproveitar quando a oportunidade surge

Na versão online do jogo, por exemplo, há milhares de pessoas jogando poker neste momento. Quem garante que todas elas estão tendo boas mãos neste momento? Difícil crer, não? Pois é. Da mesma forma que um profissional do poker não se apega às mãos ruins, ele sabe se aproveitar das mãos boas. Ou seja: passa oportunidades ruins e aposta forte em mãos boas. Esse estilo de jogo é chamado pelos profissionais de tight aggressive (algo como, em tradução livre, o jogador que é agressivo em poucas oportunidades).

Temos de saber que a aleatoriedade faz parte de nossas vidas. Um livro que ensina isso muito bem, e que foi best­seller na década passada, se chama O Andar do Bêbado.

Caso você queira saber mais sobre, vale muito a pena a leitura.

Você precisa ter um plano

Muitos pensam que jogar xadrez é apenas ver onde estão as peças no tabuleiro e ir à busca do rei. Engana­se que pensa assim – aliás, engana­se completamente. A determinante para sabermos se um jogador de xadrez é um mestre ou não é sua capacidade de prever movimentos futuros. Quanto mais movimentos futuros ele conseguir prever, melhor jogador ele será.

No campo da administração, tal fator é essencial para o sucesso com os negócios.

Recentemente, aliás, a revista americana Time – uma das de maior prestígio na mídia americana – elencou os 25 livros mais importantes sobre planejamento e gestão de negócios. Isso só prova uma coisa: se planejar é uma característica comum das pessoas de sucesso no mercado de trabalho.

a_friend_in_need

Lembre­-se: você nunca está jogando sozinho

Saber como os outros pensam é essencial

Tanto no xadrez quanto no poker, é essencial saber o movimento seguinte do adversário.

Ou pelo menos induzir o movimento seguinte de quem você está enfrentando. Quem domina a mente adversária nesses dois esportes mentais, domina a partida. E é óbvio que quem domina a partida, vence.

Para dominar a mente adversária é preciso pensar como ela. Assim, você saberá quais rumos ela por ventura pode tomar. As motivações do outro são importantes para você porque, essencialmente, ninguém faz nada sozinho. Seja um cliente, um concorrente ou um colega de equipe, é importante colocar-­se no lugar dos outros. E este é um conselho que Don Corleone dá a Michael antes dele assumir a família – ou seja, desde O Poderoso Chefão você não tem desculpas para não segui­-lo. Conclusão: os jogos vão muito além da diversão

As pessoas poderiam pensar que se trata apenas de diversão ou de um passatempo num dia de chuva. Contudo, o poker e o xadrez são verdadeiros campos de treinamento para o mercado de trabalho. Não a toa, a UNICAMP (uma das mais importantes universidades do Estado de São Paulo) abriu uma disciplina optativa para seus estudantes que versa justamente sobre o poker. O controle de emoções, planejamento e pensar como o outro é essencial para o sucesso no mercado de trabalho. E um treinamento divertido não cai mal.

Artigo enviado por leitor

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top