Últimas Crónicas

Recado para o meu filho sobre Bullying

loading...

Já falamos varias vezes sobre Bullying em casa, mas tendo em conta as perguntas que me tens feito, acerca dos vídeos que têm sido partilhados e comentados nas redes sociais e na televisão, aos quais tu tens muita curiosidade em ver, eu achei melhor, desta vez, escrever um recado para ti! Para quando tu estiveres numa situação de Bullying lembrares-te destas palavras!

A mãe nunca sofreu de Bullying, sofri de preconceito, eu era uma miúda muito pobre, não tinha boas roupas, nem uma boa casa, nem o meu pai me ia buscar à escola de carrinho, quem me educava era a mãe solteira que trabalhava em limpezas, julgo que preconceito é uma vertente de Bullying, mas a verdade é que eu não sofri com isso, sabes o que realmente me magoava quando eu era da tua idade? Chegar a casa e ter à minha espera quatro paredes, não ter uma palavra de carinho, aquele sorriso e beijo que só uma mãe consegue dar, e é nestes factos que eu quero reforçar a minha opinião.

Já deves ter percebido há muito tempo que em casa existem dois tipos de mãe: a mãe que brinca, faz cocegas, caretas em frente ao espelho, que fala espanhol e se ri, que se atira para o chão, que se mete em cima do sofá e rola, que brinca às escondidas e aos caça-fantasmas. E depois tens a mãe autoritária, arrogante, exigente, que te fuzila só com o olhar, que dá dois berros, que te mete de castigo, que se passa quando não fazes logo o que ela manda,  mas tanto um tipo como o outro ensinam e educam, portanto, quero que leias com atenção o que vou escrever.

Há três tipos de intervenientes numa situação de Bullying: O agressor, a vitima e os assistentes.

O agressor

Ai de ti, mas ai de ti mesmo, que alguma vez te envolvas numa situação de violência física ou psicológica. Eu sei que actualmente no ensino básico , vocês putos de nove anos, que ainda mijam nas cuecas e cheios de ranho no nariz, se envolvem em brigas e confusões, mas livra-te de, alguma vez, alguma professora ou algum pai fazer queixa de ti por falta de respeito ou por mau comportamento. És criança, é normal, estão a crescer, dizem as pessoas, eu também já fui criança e nunca faltei ao respeito a ninguém! Sinais dos tempos modernos dizem, uma ova, dane-se os tempos modernos, eu não estou a criar um filho mal-educado. Estás absolutamente proibido de pensar sequer, em magoares ou maltratares algum colega teu, porque se o fizeres vais conhecer as paredes do teu quarto vezes sem conta. Eu acordo-te todos os dias, todos os dias vou buscar-te à escola, cozinho para ti todos os dias e todos os dias te deito. Tens tudo o que precisas para ser uma criança feliz, há quase nove anos que eu abdico de sair à noite, de dormir muitas horas, de viver sem preocupação, de comprar para mim em prol de ti, de passar mais tempo com outras pessoas do que contigo. Falo contigo sobre qualquer assunto, reconforto-te quando choras, rio-me contigo das coisas parvas que dizes, compro-te muitos livros, ensino-te, abraço-te, encho-te de palavras positivas, educo-te, digo que te amo varias vezes por dia, portanto, a tua obrigação para com a tua mãe é reflectires na escola e na sociedade tudo o que referi anteriormente, porque a probabilidade de uma criança amada e preenchida se tornar um agressor é mínima.

A vitima

Quando tinhas seis anos comecei a ficar receosa quanto à tua insegurança, foste criado numa redoma, o teu tempo era passado sempre comigo, o menino não pode cair, o menino tem de tomar xarope, o menino doí isto, o menino precisa daquilo, tretas de mãe de primeira viagem, percebi que tinha errado em te proteger tanto quando entraste para a escola, eras um miúdo inseguro e tímido. Quando começaste a praticar Jiu-jitsu mudaste, tornaste-te confiante, seguro, além de cheio de pinta claro. Foi das melhores coisas que fizemos por ti! Colocarmos os nossos filhos numa arte marcial, que ensine a defesa, protecção, postura e segurança é assegurar a nós pais, e a eles crianças e adolescentes, que ninguém terá coragem para os atacar seja de que forma for. Eu sei que já te disse isto um milhão de vezes, mas desta vez vou escrever: se alguma vez te confrontarem , se te atacarem verbalmente ou fisicamente não mostres medo, ignora até quando puderes e mostra confiança, isso é meio caminho andado para não insistirem em te atacar, porque vão perceber que és um miúdo forte. Se te encurralarem e começarem a bater-te, não mostres medo e defende-te! Se te derem um estalo, um pontapé, um empurrão ou puxarem um fio de cabelo, defende-te e dás a dobrar, não fiques parado nem quieto, não me interessa se são ciganos ou filhos do presidente, não interessa se são maiores que tu ( isso não significa nada em termos de força), não interessa  se estás em desvantagem numérica, defende-te sempre! E se ficarem esmurrados, sem algum dente e com dores é bem feito, porque tu é que foste atacado e só te defendeste! A seguir, comunicas o sucedido à auxiliar que estiver de serviço, e se ela cagar para a tua conversa, que é o que normalmente acontece, não fiques triste, vais directamente ao director da escola, nem que tenhas de chegar atrasado à aula seguinte, denuncias o caso, se ele não mover uma palha, que é o que acontece frequentemente, não fiques triste, quando chegares a casa vais contar imediatamente aos pais, e nós vamos logo fazer queixa à policia, e se a policia disser que já há muitas ocorrências idênticas e que não há nada a fazer, que é o que normalmente acontece, não fiques triste, porque no dia a seguir eu estarei à porta da escola para conhecer os bacanas que te atacaram, e terei todo o gosto em conhecer os camafeus que educaram essas crianças. Eu sou das pessoas mais pacatas que alguma vez vão conhecer, mas viro fera se magoarem as minhas crias!

Os assistentes

Já te disse também que, se presenciares alguma situação de bullying na tua escola, não hesites em ajudar o teu colega. Se os agressores virem que ele não está sozinho, a probabilidade de não continuarem é maior, assim como eles nunca atacam sozinhos, as vitimas também não devem estar sozinhas. E livra-te de assistires a uma cena de violência e ainda dares aval, de ficares a assistir, de gozares ou filmares com o telemóvel, livra-te, porque no dia em que o fizesses podias esquecer o que era uma televisão, um tablet e brincares na rua com os teus colegas, a tua playstation ia hibernar por vários meses, os teus brinquedos também, e levavas umas valentes palmadas, daquelas a valer, de certeza que nunca mais na tua vida voltarias a cometer um erro destes.

Espero que tenhas percebido tudo o que escrevi, a mãe vai trabalhar.

Boa escola, diverte-te e aprende muito, a mãe ama-te muito e infinito!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top