Um feliz Dia da Criança para todos vocês.

FELIZ DIA DA CRIANÇA!!!

Ahh, como eu tinha saudades disto… E quando digo “disto” refiro-me à possibilidade de vir até aqui escrever um pouco para si… É verdade que ultimamente tenho andado mais desaparecido do “maisopiniao.com” do que o Bruno de Carvalho, do Facebook, desde que perdeu o título para o Benfica. Mas prometo-lhe que tudo isso vai mudar. Ai não que não vai… Ó se vai! Nem que para isso tenha de começar a deixar a miúda na casa dos avós, só para conseguir vir até aqui escrever para si… (Confesso que o meu plano inicial passava por deixá-la atada a uma árvore, mas no outro dia vi nas notícias que tal era proibido…).

Ora bem, se bem se lembra (e se não se lembra eu relembro-lhe) há aproximadamente um ano atrás eu escrevi a seguinte crónica: https://www.maisopiniao.com/dia-mundial-da-crianca-embuste/ , crónica essa que falava sobre o Dia Mundial da Criança – um dia consumista que só serve para os pais comprarem prendas desnecessárias aos filhos, darem abébias ao seu mau comportamento, ou adquirirem roupa feia com 20% de desconto. Pois bem, hoje irei falar sobre o outro lado deste dia. O lado positivo. O lado que nos deixa orgulhosos do trabalho que temos vindo a fazer, enquanto pais, até agora. Um lado maravilhoso que raramente vemos exposto aqui!

Começo por contar-lhe um segredo: ser pai é difícil! Sim, é! E não me venham cá com tretas, histórias da carochinha, ou floreados sobre o quão maravilhoso é o incrível mundo da paternidade. Ser pai é mais difícil do que ir à guerra! Até porque se na guerra o lema é “matar ou morrer” aqui o lema é “fazer de tudo para não deixar o brinquedo morrer”, algo que por vezes consegue ser bastante complicado.

A minha filha já começa a querer andar. Põe-se em pé sozinha, agarra-se aos móveis, dá uns passinhos, ou quando não consegue fazê-lo põe-se a rebolar pelo chão fora. (Sim, a miúda não gatinha, rebola. Quanto muito faz uma espécie de “gatinhanço/rebolanço/rastejanço” que se torna bastante engraçado de ver.) O problema é que a força nas canetas ainda não é muita… Conclusão, 2 ou 3 minutos depois de pôr de pé lá está a miúda cravada no chão. *AUTCH*. Volta a pôr-se em pé e… esbarra-lha-se novamente no chão. Para além desse truque tem a tendência suicida de se querer atirar de qualquer superfície em que a deixemos. Quer seja o sofá, o muda fraldas, a cadeira ou a cama, onde quer que a deixemos ela vai tentar jogar-se para o chão (regra geral atrás de algo que ela acabou de mandar para o chão antes). Só para ter a noção do quão perigoso isto é, no outro dia eu sentei-a, por 10 segundos, no banco do meu carro. Fui até à mala e quando voltei ela já estava a empurrar os pedais com as mãos enquanto os pés continuavam no assento. Verdade seja dita, conseguir manter esta mini pessoa viva e intacta é mais complicado do que passear pelas ruas da Nazaré sem partir nenhum bibelot que esteja exposto no chão.

Claro que é espectacular vê-la a querer dar os primeiros passinhos, os sorrisos rasgados, as gracinhas, as palminhas, ou até as birras por não lhe darmos aquilo que quer (quando quer e como quer). É simplesmente gratificante vê-la sorrir, com os seus 2 ou 3 dentinhos, quando chegamos do trabalho e a pegamos ao colo. Mas mais maravilhoso ainda é quando a vemos dormir que nem um anjinho… Um soninho tão lindo e maravilhoso que nos leva a desejar que seja longo e reparador (tipo umas 3 ou 4h durante o dia ou umas 8 ou 9h durante a noite). Ai que bom que é…

Em suma, ser pai é dficil! Sim, é! Mas também é maravilhoso. E verdade seja dita: hoje, dia 1 de Junho de 2016, Dia da Criança, fico muito feliz por existires e por despertares a criança que há em mim. (Mesmo quando a despertas às 2h da manhã porque queres companhia para brincar…)

“Ai! Ai! Pai Sofre!”

P.S. Continuo a achar que este, tal como os outros todos dias comemorativos do ano (Dia do pai, da mãe, dos namorados, da mulher, etc…etc…) são meramente consumistas e ridículos. Devemos celebrar a existência destas pessoas na nossa vida todos os dias do ano e não apenas quando o calendário assim o dita. Posto isto resta-me apenas desejar um fantástico 1 de Junho de 2016 a todos vós. Obrigado até para a semana.