Últimas Crónicas

A história das 4th Impact (do X Factor UK)

loading...

Esta semana decidi afastar-me dos assuntos mais falados em Portugal e falar (novamente) do X Factor, versão britânica.

Desde que apareceram nas audições as irmãs Almira (27 anos), Irene (25 anos), Mylene (23 anos) e Celina (19 anos) vindas das Filipinas para o programa, criaram o maior “burburinho” em todos aqueles que seguem o talent show britânico. Não só as vozes são potentes e afinadas, como se nota logo a harmonia de quem já canta em conjunto há muito tempo, como a capacidade de seguir coreografias exigentes, sem se notar falhas na voz por isso é impressionante. Inicialmente chamavam-se 4th Power mas por questões legais, tiveram de mudar para 4th Impact.

4th-power

Estas meninas nasceram numa família pobre do norte das Filipinas. No total, são 8 pessoas em casa, contando com os pais. O pai recolhe lixo para vender (talvez se possa equiparar, em Portugal, a quem restaura coisas em segunda mão para vender) e a mãe vende produtos de beleza. Segundo algumas fontes, elas sofriam bullying dos colegas (ou, como se diria no meu tempo, eram gozadas pelos colegas) pela profissão dos pais, principalmente do pai. Então, decidiram ajudar a família. E como?
Começaram por cantar em eventos de lutas de galos – sim, leram bem – que existiam perto de onde moravam para juntar dinheiro. Não havia outra possibilidade. Mais tarde, a mãe viu anunciarem um concurso de canto na televisão, mas era em Manila, a capital das Filipinas. Para conseguirem ir à capital, a mãe pediu emprestado dinheiro a um amigo, pois doutra forma as filhas não poderiam participar. Participaram no programa, mas não ganharam. Mas mesmo assim, ganharam a possibilidade de ir representar as Filipinas a um concurso internacional chamado The World of Performing Arts, que decorreu em Hollywood, nos Estados Unidos. Saíram desse concurso, onde participaram como Cercado Sisters (Cercado é o sobrenome delas) com 16 medalhas de ouro na categoria júnior. Algumas fontes referem que, depois de ganharem outro talent show, elas voltaram ao The World of Performing Arts e ganharam como o melhor grupo de cantores, desta vez na categoria sénior. Mais tarde elas decidem participar no Superstar K6 na Coreia do Sul, uma espécie de X Factor da Coreia. Neste concurso chegaram a um honroso 4º lugar, tendo em conta que foram as primeiras mulheres a chegar ao top 8 do programa e as primeiras estrangeiras a conseguir chegar aos live shows (programas em directos) do talent show coreano. Podem encontrar o trajecto delas no Youtube procurando por Cercado Sisters, The Gollayan Sisters ou MICA.

Depois veio o X Factor UK. Inscreveram-se com a mesma intenção: ganhar para ajudar a família. Os tablóides britânicos (tipo os “Correio da Manhã” britânicos) chegaram a publicar que a produção do programa as tinha convidado, mas tanto elas como os produtores negaram. O pavilhão de Wembley (onde são feitas as audições de Londres e o Desafio das 6 cadeiras – a última fase do bootcamp) ficou em êxtase com a exibição delas na primeira audição em frente aos 4 jurados (que podem ver clicando aqui). Depois, fase após fase – bootcamp, incluindo o desafio das 6 cadeiras e directos (hoje foi a 4ª semana em directo e passaram à próxima semana – elas foram surpreendendo tudo e todos. O video oficial da audição tem mais de 29 785 000 visualizações, página oficial do Twitter tem mais de 75 mil seguidores. Anónimos e celebridades já publicaram o seu apoio às meninas das Filipinas. Ex-concorrentes como os One Direction, as Little Mix e Fleur East demonstraram o seu apoio. A actriz americana Lindsay Lohan e a cantora britânica Sinitta (grande amiga e ex-namorada de Simon Cowell) demonstraram publicamente no Twitter o seu apoio. Também a cantora britânica Nicola Roberts, ex-membro da girls band Girls Aloud (formada no Popstars The Rivals em 2002, na ITV, mesmo canal que emite agora o X Factor), juntamente com Cheryl, a mentora das 4th Impact no programa, veio dizer que elas interpretaram de forma excepcional a música Sound Of The Underground da já extinta girls band britânica. David Walliams, comediante britânico e um dos membros do juri do Britain’s Got Talent é um das celebridades que as segue no Twitter. Podem ver todas as exibições das 4th Impact no X Factor via Youtube se clicarem aqui.

Algumas fontes dizem que o pai delas tem cancro no cérebro e que elas querem ganhar dinheiro para o pai ser operado e evitar a cegueira, mas carece de confirmação. Oficialmente elas só disseram num dos vídeos que marcam a introdução de cada actuação que só falam com o pai através da internet porque ele está doente e não pode viajar.
As “miúdas”, para além de talentosas, são giras e todas solteiras. Mas os rapazes vão ter de acalmar as hormonas porque, se acreditarmos no The Daily Mirror, outro tabloide britânico, elas confessaram que, porque são de uma familia muito conservadora, como quase todas nas Filipinas, nenhuma delas foi beijada por um rapaz, todas elas são virgens e prometeram aos pais que, enquanto estivessem no Reino Unido, iam-se concentrar a 100% no programa e manter-se afastadas dos rapazes. Diz ainda o tablóide que a única que tem namorado é a Irene e nunca se encontrou com ele sem ser na presença da mãe.

Vida amorosa à parte, o talento para cantar e dançar, bem como a harmonia entre elas, não só porque são irmãs mas porque ensaiam, segundo o staff do programa, até caírem de cansaço (a foto abaixo, do Instagram oficial, diz tudo, acho eu), tornou-as (ainda mais) famosas, mas os britânicos estão apaixonados por estas raparigas que não negam um abraço ou uma selfie com quem se cruza com elas na rua. Elas têm muito boa concorrência no programa mas se todos aqueles que a seguem nas redes sociais votassem, tinham uma grande possibilidade de ganhar. Mesmo assim ainda têm.

voice_rest

 

Crónica de João Cerveira

Este autor escreve em português, logo não adoptou o novo (des)acordo ortográfico de 1990

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

loading...
To Top