Últimas Crónicas

Uma Homenagem à Perfeição

loading...

  Os animais são seres perfeitos. Quem me conhece sabe bem os amo. Cresci com animais e a forma como valorizo as pessoas rege-se basicamente por um fator: Gostar ou não de animais. Claro que não espero que toda a gente tenha um animal em casa mas o respeito e afeto que tem pelos animais, será decisivo na minha tomada de decisão sobre o carácter dessa pessoa. Se não gosta de animais, não a quero perto de mim.

  Vivi cerca de 25 anos com gatos (muitos) e conheço-os muito bem, são seres excecionais com personalidades únicas, mas hoje, dedico esta crónica aos cães, que fazem parte da minha vida há cerca de 9 anos. Os meus patudos são tudo para mim, amo-os como se se tratassem dos meus filhos e daria a vida por eles. Doentio ou exagerado? Talvez, mas perante seres que respiram, amam, sorriem e sofrem, que me são leais, amigos, não me julgam a mim nem a ninguém e cuja prioridade é fazerem-me feliz, não poderia ser de outra maneira. Não tenho filhos, mas muitas vezes dou por mim a meter-me em conversas de amigas ou amigos enquanto falam das suas crias, e dou por mim a compará-los com os comportamentos dos meus cães! Ok, pode parecer ofensivo para alguns mas a realidade é que os cães têm mesmo sentimentos semelhantes a crianças de 2 anos de idade e o amor recíproco entre cães e os seus donos é um amor de pais para filhos e vice-versa.

O cão não nasce agressivo, a sua genética e raça não faz dele mais ou menos agressivo. Os cães, quando nascem são seres puramente sociais, que vivem em harmonia na sua matilha, até que o ser humano coloque a mão e, como em muita outra coisa, estrague o que era perfeito por defeito. Sobre as raças potencialmente perigosas (RPP), é um assunto que me incomoda porque tenho uma em casa que, de perigosa, não tem rigorosamente nada, e é das raças que mais admiro. Itália recentemente mudou a lei dos RPP, o que faz todo o sentido uma vez que não está cientificamente provado (nem nunca estará), que certas raças são mais agressivas que outras… Agressivo é o ser humano. Há uns anos assisti a um workshop com um grande estudioso e especialista, Dr. Ian Dunbar, que viveu a sua vida a estudar cães e, curiosamente, a raça que mais ataca e mata crianças nos EUA é…o Labrador. Todos os cães têm potencial para serem perigosos se não sociabilizados, educados e amados.

  Além da Zucka, uma pitbull que na rua é confundida com uma cachorra, pelo seu comportamento doido, apesar dos seus já 8 anos de idade, tivemos também a Luna, uma American StaffordShire e a patuda mais perfeita e exemplar que alguma vez conheci. Infelizmente partiu há cerca de ano e meio e não há um dia que passe em que não sinta a sua falta. E claro, o Nine, um patudo rafeirinho sem pelo e que adotei em 2012 e que faz parte da família como se sempre tivesse vivido connosco e é um grande doido com cerca de 12 anos (estimados). Basicamente, RPP é uma Raça Potencialmente Perfeita.

  Mas hoje não venho tanto escrever (apesar de já ter escrito bastante, é mais forte do que eu…), mas sim homenagear esta espécie mais humana que o próprio ser humano, que nos emociona e que merece respeito e muito amor. Está na hora de se começarem a penalizar atos de crueldade e negligência que diariamente acontecem por todo o mundo, mas especialmente em Portugal onde infelizmente existem casos e mais casos de maus tratos.

Vejamos porque são os cães seres perfeitos:

especies

Não distinguem raças ou espécies. Aceitam aqueles que são diferentes, sem qualquer julgamento de valor. Para eles, o amor vem primeiro.

petiscos

Contentam-se com pouco e não são ambiciosos. O objetivo é simples: Petiscos!

bebes

São excelentes com crianças. Todas as crianças deviam ter um cão. Têm paciência de Santo e são extremamente protetores. Eles próprios são uns bebés e adoram colo e mimo.

dormir

Não são exigentes na hora de dormir. Qualquer posição e lugar são perfeitos!

distraidos

Se bem que…às vezes são um pouco distraídos…

sorrir

Emotivos e expressivos. Eles sorriem e riem. É tão fácil fazê-los felizes.

triste

Mas também sofrem, também se sentem tristes, choram, deprimem.

Asneiras

Sabem bem quando fazem asneiras…

expressoes

Mostram as suas emoções. Sentem vergonha, fazem beicinho e olham-nos com ar de desprezo quando nos armamos em parvos.

problemas

Encaram os problemas de frente. Além de não discriminarem os que são diferentes, seguem o seu caminho adaptando-se sem perguntas nem hesitações. Não perguntam porquê, simplesmente continuam com a sua vida.

rir

Sabem divertir-se e fazem-nos rir. Brincam toda a vida e não precisam de grande coisa para fazer a festa, atirar os foguetes e recolher as canas.

truques

Sabem comportar-se à mesa e aprendem truques elaborados. Alguns patudos bem especiais até ajudam na limpeza.

humanos2

Satisfazem os nosso caprichos de os humanizarmos, fiquem eles com umar fofinho ou ridículo.

humanos

Toleram mesmo de tudo…no questions asked.

Aproveito para gabar alguns dos modelitos aqui colocados que são os meus filhotes mais lindos, A Zucka (diabrete e que sabe sentar-se à cadeira e claro, dormir em modo alongamento), a Luna (a dormir de barriga para cima) e claro, o Nine, o ratolo cinzento sem pelo e que faz uma pose de não é nada comigo.

Votos de excelente semana

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top