Crónicas de Natal

Estranhas Tradições Natalícias

loading...

Aposto que desse lado os leitores estão a colocar uma única pergunta: “Como assim já estamos no Natal novamente?”. Pois, eu também não sei. Parece que a cada ano o tempo passa ainda mais depressa, não é? E se, por um lado, isso é positivo (porque o Natal é, sem dúvida, uma das melhores alturas do ano), por outro significa que estamos a envelhecer (e, convenhamos, ninguém gosta de envelhecer). E com a chegada do Natal o Mais Opinião cumpre novamente a sua própria tradição natalícia: publicar crónicas especiais de Natal no dia 25 de Dezembro! Ah, e por falar em tradições: querem uma boa dose de parvoíce, estupidez e bizarria? Ainda bem, porque é exactamente isso que tenho para vos oferecer! Juntem-se a mim nesta Edição Especial de Natal do “Desnecessariamente Complicado”!

O que proponho é uma pequena, e rápida, volta ao mundo das tradições de Natal. E por onde começamos? Pelo sempre espectacular, e incrível, Japão! Quem tem por hábito enviar postais de boas festas, aos familiares e amigos, nesta época do ano coloque o braço no ar! Pois, bem me parecia: a maioria de nós ainda conserva esse simples, simpático e bonito gesto. Mesmo que o envelope não tenha uma nota lá dentro (hábito mais frequente de tios e avós) continuamos a enviá-lo. É algo tão pequeno, mas significa tanto, não é verdade? Pois bem, se por acaso, estiverem no Japão (ou pretenderem enviar para lá um postal de Natal) aceitem este estranho conselho: não escolham um postal vermelho.

“Porquê? É uma das cores do Natal, logo é normal que a escolhamos…”. Quando a cor em causa simboliza a morte esse hábito acaba por tornar-se tudo menos “normal”. Porque raio tem a cor vermelha tal simbolismo? Confesso que também não sei. E sim, fiquei tão em choque quanto vocês, acreditem! Por isso por via das dúvidas evitem escolher postais dessa cor, ok?

Calma caros leitores! Ainda não é altura de levantarmos voo em direcção a outro destino! Para já permanecemos no Japão porque ainda não abordámos uma outra tradição natalícia bem estranha…. Todos nós dizemos às crianças “porta-te bem senão o Pai Natal não te dá presentes”, certo? Certo. E o que significa isso? Dependerá da forma como o dissermos mas será sempre algo do género “Ele vê tudo e sabe tudo, por isso é melhor portares-te bem, senão lá se vão os presentes este ano”. Mas esta mensagem é subliminar, não literal. Pois no Japão eles são…literais. Então não é que eles dizem que o “Santa Kurohsu” (que é o nome que eles dão ao Pai Natal por aquelas bandas) vê tudo o que as crianças fazem porque…tem olhos no pescoço? Sim, leram bem: no pescoço! Assim podem olhar em frente e observar os meninos bem comportados e ao mesmo tempo olhar para trás e observar os menino mal comportados. Quanto a vocês não sei, mas eu nunca mais vou olhar para o “Papai Noel” da mesma forma!

Estes são alguns dos enfeites presentes nas árvores de Natal ucranianas

Estes são alguns dos enfeites presentes nas árvores de Natal ucranianas

Agora sim estamos de partida! E qual é a próxima paragem? Ucrânia! Sim, porque também na Europa existem tradições um pouco bizarras. Por exemplo? Nas árvores de Natal ucranianas existem bolas e fitas de todas as cores, mas também teias de aranha. Não, não me enganei. Mas calma, não são teias de aranha “reais”! São enfeites, criados especificamente, para serem colocados na árvore de Natal.

Diz a lenda que há muito, muito, tempo atrás havia uma senhora tão pobre, mas tão pobre, tão pobre, tão pobre que não podia comprar enfeites para a sua árvore de Natal. Até que, na manhã do dia 25 de Dezembro, ao acordar, constatou que uma aranha tinha tecido uma teia gigante na sua árvore, deixando-a assim totalmente decorada. Para honrar esta lenda o povo ucraniano inclui pequenas teias de aranha nas suas árvores, acreditando que isso lhes trará mais sorte, e sucesso, nas suas vidas. Esta lenda é meio estranha (e até aí penso que estaremos de acordo), contudo a verdade é que temos em Portugal algumas lendas tão, ou mais, bizarras do que esta. E, para além disso, os enfeites em causa até acabam por trazer algum arrojo a algo demasiado banal (isto se não tiverem medo de aranhas, aí é só assustador, claro).

Então, gostaram da Ucrânia? Foi uma viagem muito rápida, é um facto, mas quem sabe se não regressamos um dia? Agora toca a fazer as malas porque temos um voo para a Gronelândia reservado especialmente para nós! E qual é o motivo da nossa vinda a tão fria paragem? A gastronomia. Ou melhor, dois pratos muito estranhos, mas obrigatórios em qualquer mesa local.

Pequena amostra da iguaria "Mattak"

Pequena amostra da iguaria “Mattak”

Mas vamos por partes. De um lado temos o “Mattak”, do outro temos o “Kiviak”. O primeiro é pele de baleia crua, com direito a alguma gordura de baleia e tudo, e o segundo é uma pequena ave do ártico envolvida em pele de foca. Mas este segundo prato tem uma particularidade: a carne em causa deve ser enterrada durante vários meses, sendo consumida apenas quando estiver, literalmente, em decomposição. Até ficou com um nó no estômago, não foi? Eu sei, também senti o mesmo! Com tantas boas receitas de bacalhau porque havíamos nós de optar por baleia ou foca, não é?

Bom, vamos tentar esquecer estas “apetitosas” receitas? Prometo que a visita à República Checa não vai envolver gastronomia! Nesta nova paragem a atenção vai toda para as senhoras solteiras, para os sapatos e para as portas. Porquê? Porque esta estranha combinação é a base da próxima tradição bizarra em destaque. Durante o dia 25 de Dezembro todas as mulheres solteiras devem colocar-se de costas para a porta principal da casa e mandar (cuidadosamente, entenda-se) um sapato seu por cima do ombro. Diz a tradição que se o sapato ficar com a parte da frente virada para a rua a mulher casará no próximo ano. Peço desculpa mas isto parece-me completamente aleatório. Não faço a mínima ideia das origens deste hábito mas cheira-me que deve meter álcool. Oh, não façam essa cara que eu sei que pensaram no mesmo! Soa ou não soa a algo que um grupo de mulheres pode ter feito depois de um jantar natalício bem regado?

Agora vá, toca a arrumar as malas novamente porque o tempo urge e ainda temos mais duas paragens antes de terminarmos esta nossa viagem! Onde vamos agora? Calma, eu digo-vos: Alemanha! E qual o motivo desta nossa vinda ao país da senhora Merkel? As crianças. Sim, porque esta tradição é apenas, e só, para elas: na noite de 5 de Dezembro os petizes alemães devem deixar um sapato à porta do seu quarto. Se se portaram bem na manhã seguinte encontrarão um ramo de árvore recheado de doces. Se se portaram mal encontrarão apenas o ramo. Ora aqui está um excelente exemplo de uma tradição bonita e eficaz. Se bem que eu não acredito que alguma criança encontre apenas um ramo na manhã do dia seis de Dezembro (até porque isso seria profundamente maléfico, convenhamos!).

Por entre tantas viagens, e respectivas paragens, o cansaço começa a acumular-se, não é? Como eu vos compreendo! Mas nada temam porque não só a jornada está muito perto do fim, como vamos terminar em casa. Sim, a última tradição desta crónica especial de Natal é…portuguesa. Embora eu sempre tenha vivido em Portugal confesso que desconhecia por completo este hábito. Na minha família, que eu saiba, nunca foi praticado, mas aposto que em muitos lares nacionais este hábito é realizado de forma religiosa.

Portugal também tem uma tradição natalícia um pouco estranha, mas muito simbólica

Portugal também tem uma tradição natalícia um pouco estranha, mas muito simbólica

Consta que muito boa gente tem por hábito colocar um prato a mais na noite da consoada. Este prato, que ficará vazio, simboliza os entes queridos que, infelizmente, já partiram. É uma tradição simples, bonita e extremamente simbólica, sem dúvida. Não que o prato vazio seja necessário para recordarmos a(s) pessoa(s) em causa, claro, mas tendo em conta os valores desta época do ano é algo que certamente nos aquecerá um pouco mais os corações.

E assim chegámos ao fim desta alucinante missão! Obrigado a todos por se terem juntado a mim, nesta autêntica viagem pelo mundo, em busca das mais bizarras tradições natalícias! Finalizo com os votos sinceros de um Santo Natal! Espero que esta seja uma época marcada pela alegria, pela paz, pela serenidade, pela amizade, pela união e por alguns presentes (principalmente para as crianças, mas também para os adultos, claro!).

Boa semana.
Boas leituras.

1 Comment

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Crónicas Mais Lidas

loading...
To Top